A ex-Iugoslávia e meus grandes amigos.

Caríssimos amigos, viajantes e seguidores,

É chegado o momento por mim mais temido desde que minha mais do que querida colega, amiga e parceira de blog e eu iniciamos a escrever aqui, há quase um ano: chegou a hora de escrever sobre minhas aventuras (e desventuras) nas repúblicas que, até 1991, compunham a República Federal Socialista da Iugoslávia.

DSC02420

Antes dela, havia existido o Reino da Iugoslávia, de 1918 a 1943 e, depois dela, houve outra Iugoslávia, a República Federativa da Iugoslávia, composta apenas por Sérvia e Montenegro, a qual depois se tornou uma união política entre essas duas repúblicas (denominada Sérvia e Montenegro) que, por fim, dissolveu-se em junho de 2006. Bem fácil entender, né?

Porque essa tarefa é tão difícil para mim? Porque não existe outra região no mundo que mais amo, onde tenho mais amigos, onde mais aprendi e onde passei alguns dos melhores momentos da minha vida, cercado de pessoas extraordinárias e de cenários de tirar o fôlego.

Para aqueles que não iam bem em História na escola, a Iugoslávia, país já extinto, era composto por seis repúblicas: Eslovênia, Croácia, Sérvia, Bósnia e Herzegovina, Macedônia e Montenegro.

Além das seis repúblicas, o país possuía duas repúblicas semiautônomas: Vojvodina e Kosovo (o qual se declarou independente em 17 de fevereiro de 2008, mas ainda carece de reconhecimento internacional), era composta por seis grupos étnicos (croatas, sérvios, eslovenos, muçulmanos, montenegrinos e macedônios), falava três línguas (sérvio-croata, macedônio e esloveno) em dois alfabetos diferentes (latino e cirílico), abrigava três religiões (católica, ortodoxa e muçulmana) e contava com um sem-número de minorias étnicas (albaneses, húngaros, ciganos, eslovacos, romenos, búlgaros…).

Se não está fácil para você entender, imagine como está fácil tentar resumir tudo isso. Todas essas divisões remontam à época da dominação Romana na península balcânica e não só. A região foi dividida pelo cisma da Igreja Católica, foi invadida pelo Império Turco-Otomano, foi lá onde se deu o start da Primeira Guerra Mundial, a Segunda Guerra Mundial dividiu esse pessoal ainda mais, depois chegou o comunismo, surgiu o movimento dos não-alinhados, Tito morreu, seguiram-se guerras pela dissolução do país, com direito a genocídios, cercos, estupros coletivos, execuções em massa, campos de concentração, crises de refugiados, intervenções da ONU e da OTAN…sério, é coisa demais.

Para aqueles que se interessam por História, como eu, colocarei dicas de livros e filmes sobre o tema nos meus posts, porque é muita informação e muitos pontos de vista divergentes. Cumpre a cada um estudar, tentar entender e se posicionar, ou não. Na primeira vez que pisei na ex-Iugoslávia, estava cheio de certezas, hoje não tenho mais nenhuma e cada vez que leio um livro ou assisto um filme sobre lá, essas incertezas só aumentam. Quem é o vilão? Quem é o mocinho? A única certeza que tive até hoje: todos sofreram, e muito e esse passado difícil de esquecer, está começando a ficar para trás…ainda bem!

Como havia dito, o que mais me marcou na região, além das incríveis paisagens e das inesquecíveis experiências, foi o povo, por isso abro essa série sobre a ex-Iugoslávia falando brevemente sobre onde estive em cada país, ilustrando com fotos dos meus mais do que queridos amigos que tenho por lá, os quais me fizeram voltar para lá três vezes.

CROÁCIA

A Croácia foi meu primeiro país da ex-Iugoslávia (e dos Bálcãs). Estive por lá quatro vezes: em 2005, em 2011, em 2012/2013 (passei o réveillon) e em 2014. Mantenho uma ótima amizade com cinco croatas que conheci em Sarajevo, na Bósnia, até hoje. Cada vez que volto para lá, faço questão de encontrá-las. Por lá conheci Zagreb, Split, Osijek e os lagos Plitvice.

DSC01477

DSC05815

20140413_015735

ESLOVÊNIA

A Eslovênia foi meu segundo país da região a ser visitado. Na primeira vez, visitei apenas Ljubljana, em 2005 e, na segunda, estive de volta à capital e conheci Bled. Não tenho amigos eslovenos, mas encontrei um caro amigo macedônio que estuda por lá.

20140417_204014

SÉRVIA

Em 2011, quando ainda era necessário o visto para se visitar a Sérvia (já que ainda não possuía o passaporte italiano), estive lá pela primeira vez. Retornei em 2012 e em 2014. Na foto, o dono de um dos melhores albergues onde já estive, o Habitat, uma de suas ex-funcionárias, as quais também viraram grande amigos. Ademais, meus amigos couchsurfers de Niš, Maria e Niko. Por lá, conheci Beograd, Novi Sad e Niš.

391860_178201392268575_100002361458754_368746_231428372_n

DSC05426

DSC05428

20140404_222450

BÓSNIA

Um dos países que mais me surpreendeu e que visitei também três vezes: em 2011, 2013 e 2014. Foi lá onde tive minhas melhores experiências como viajante. Sarajevo é inexplicável e é impossível não se deixar conquistar pela cidade e pelo povo. Meu grande amigo Skender é de lá e graças a ele e ao Sarajevo Funky Tours e ao Posillipo, conheci também Pocitelj, Blagaj e Mostar. Outro amigo muito querido, um irmão, é o Robert, de Banja Luka, capital da República Sérvia da Bósnia. Sua namorada, Daniela, é mais uma das pessoas mais queridas que conheço por lá.

1521991_10202353207926497_6036500902911185749_n

SAMSUNG CAMERA PICTURES

MACEDÔNIA

Pensa num país orgulhoso de sua História e de seu passado. Essa é a Macedônia! Estive por lá apenas uma vez e visitei sua capital, Skopje, onde enfrentei temperaturas de menos 15 graus. Quem está comigo na foto é o amigo de um grande amigo, que acabei encontrando por lá, junto de sua então namorada e uma amiga.

DSC05184

MONTENEGRO

País que visitei em 2011 e que tem a capital mais feia da Europa (sim, sou sincero). Pelo menos seu litoral é belíssimo e pude comprovar em uma day-trip para Kotor. Não tenho amigos lá, já que os montenegrinos estavam dormindo (piada interna balcânica hahahahahaha).

Espero que tenham gostado do post, meus caros!

Está lançada a série que mais temia!

Até a próxima!

Anúncios

3 pensamentos sobre “A ex-Iugoslávia e meus grandes amigos.

  1. Cara que demais, eu estou planejando viajar também, num pacote que inclui o Montenegro adoro os montenegrinos. Estudo, leio, desenho, assisto, gravo, rabisco em fim respiro e falo sobre os iugoslavos ou ex-iugoslavos para quem preferir desde 2010. Converso com um senhorzinho sérvio que que lutou como partisan é diferente quando se aprende da fonte.. Gosto deles, independente de questões políticas e sociais, suas histórias me intrigam e me seduzem mais e mais. Não sabia que Podgorica é sem graça, mas você tem que admitir, os trajes deles são um dos mais lindos dentre os eslavos (para mim, se igualando aos poloneses de Cracóvia). Se possível, escreva mais sobre eles, pois como disse “quanto mais leio, menos entendo”. Hvala.

    Curtir

    • Salve, Marília! Se você já tem esse encanto pela ex-Iugoslávia sem antes mesmo conhecê-la, acredite-me: teu encanto só aumentará! Uma das regiões mais autênticas da Europa em todos os sentidos está a tua espera! Podgorica não me agradou, mas conheci uma argentina em Sarajevo há alguns dias e ela amou a cidade, na qual esteve há menos tempo do que eu. Talvez Podgorica tenha mudado para melhor. Não opinarei sobre roupas pois não é meu forte heheheh mas ainda tenho muito a escrever sobre minhas experiências nas ex-Repúblicas Iugoslavas! Muito obrigado pela visita! Fico feliz por conhecer entusiastas da região, pois tratam-se de verdadeiros viajantes que gostam de fugir di óbvio! Até a próxima!!

      Curtir

  2. Pingback: Ex-Iugoslávia: Um Guia Prático | Viaje por Dois

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s